Bem as aventuras não param e só para que conste ainda não asssinamos nenhum contrato para ficar na residência, o gerente disto é dos bons -.-
    Já conhecemos Rimini (quase como a palma da minha mão), Reggio-Emilia, Parma e Cesena.
    Mas para levar isto desde o início, então a primeira visita a Rimini foi para conhecer o nosso Prof Gioelle Santucci. Mas que grande Homem meteram à frente disto  em Itália. Tratou de tudo connosco, mostrou-nos uma parte da cidade, pagou-nos o pequeno-almoço, lanche e almoço e ainda nos deu imensas indicações. Deu-nos algumas boas e más notícias, o facto de termos que fazer um curso de italiano e de termos que realizar uma série de exames de saúde (exames esses que os nossos professores portugueses queriam que pagassemos do nosso bolso e ele não). Deu-nos duas semanas sem estágio, para adapatção.
     No primeiro fim-de-semana aqui, sozinhos e com saudades de tudo, fomos ter com a Ana e a Márcia a Reggio-Emilia. Finalmente vimos jovens, sim porque aqui no "Tibete" não havia jovens, vimos vida noturna, e ai, Deus sabe as saudades que tinha delas. Assim, fez-se um típico jantar académico, com um rapaz de Erasmus também que elas conheciam. Foi tão bom. Conversamos, conversamos, bebemos e fomos sair. Pronto não foi bem sair, foi ir até um café, sair era demais até para aquela cidade.
    No sábado passeamos por todo o sítio lá, e como elas já conheciam algumas coisas, tivemos direito a guia turístico.
       Como ainda havia Domingo, decidimos ir até Parma, passamos lá o dia e depois voltamos para o conforto da nossa residência. Podia ter sido assim uma viagem simples. Mas que raio de sorte tivemos nós que a linha de comboio estava cortada a meio? Então tivemos que fazer uma parte da viagem de autocarro e depois comboio de novo, demorando assim o dobro do tempo.
     Na residência já somos "populares", toda a gente sabe quem são os portugueses (também não é díficil, somos dos únicos que falam alto, riem...), mas conhecemos boas pessoas, dentro delas um BRASILEIRO!! Bem, não imaginam como foi bom ouvir alguém a falar e compreender o que estava ser dito. É um rapaz altamente, super divertido, que tem sido uma óptima companhia. Aprendi também a dizer algumas coisas diferentes com o pessoal que conhecemos do Azerbeijão.
          Começamos também o estágio, na passada quinta-feira, que equipa excelente, o maior problema é andarmos vestidos como os enfermeiros em Portugal, eu detesto fardas brancas.
     
      Entretanto percebemos que não iríamos mudar de casa, é memso impossível, e impossível também e eu mudar para um quarto sozinha, a cada dia que passava a residência começou a ficar cheia e neste momento é impossível, por isso lá se foi a ideia de ter um espacinho para mim -.- (mas vá, admito que estou muito bem com eles).
   
        E por falar em casa....a cada dia que passa sinto mais saudades de tudo. Em Parma fiz um miminho a um cãozito, e não me contive, fiquei com os olhos cheios de lágrimas (o dono do cão deve ter ficado  a pensar que era louca), mas até me tenho aguentado bem. Ainda não chorei nenhuma vez (nem quando falo com a avó). Mas, honestamente, isso não quer dizer que seja fácil. Sinto saudades tuas, oh Meu Deus, mas tantas saudades tuas.
Ás vezes o facto de falar com as pessoas não ajuda... quanto mais falo contigo mais saudades tuas tenho, maispenso nos momentos que poderíamos ter aproveitado e não aproveitamos, mais penso que quando te abraçar de novo, não te largo, JURO!  (e agora basta de falar de saudades)
 Conhecemos alguns portugueses! Mas nem todos me agradam (óbvio), mas pelo menos duas raparigas (e adivinhem de onde são?) de Coimbra, que me pareceram um óptima companhia.
     Estamos prontos para as aventuras que por aí andam há nossa espera! 











                                                                                   Beijinhos e até ás próximas aventuras ;)

Arquivo do blog

Catarina Couto. Com tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog