Tenho 24 anos, licenciada em Imagem Médica e Radioterapia e traabalho na Perfumes e Companhia.
Sou eu, sim. E podia ser outra pessoa qualquer. Porque infelizmente (e para quem não sabe) maior parte das apessoas que trabalha em lojas tem uma licenciatura e estudos. E desengane-se quem pensa "só nquem é muito bom é que arranja trabalho em Portugal", a questão é sem bom em quê?

Entao arranjas trabalho em Portugal na tua área de licenciatura se:
1- fores o filho/a do Sr. Dr. Exc. qql coisa, ou seja alguém muito importante com muitos conhecimentos;
2- tiveres sido uma grande escova durante o teu período de ensino, isto é, aqueles alunos muitoooo fofinhos muito simpáticos, com muitos problemas mas sempre com um sorriso na cara? Se és um desses continua que vais ter trabalho;
3- volta a ler o 1 e 2.

Caso estejas no mesmo patamar que eu (ponto nr 3) desculpa mas as tuas hipóteses não são muitas.

E se estás a passar por uma fase complicada, aquela em que vês muitas pessoas a arranjar trabalho (as do grupo 1 e 2), eu também passei por ela. Mas depois da "depressão" pós-licenciatura, começas a perceber que alguma coisa boa vai estar  guardada para ti. Porque as escolvas e os filhos de X não ficam sempre com tudo o que é bom.

E depois quando vês e olhas para trás até vais sentir ridículo/a por teres tido aqueles sentimentos de "raiva", aproveitas as oportunidades que te aperecem, porque isso é o que nos distingue das escovas e dos filhos de X, sejam elas onde for. A minha foi na Perfumes e Companhia e ssabes? Estou super feliz :)

No fim o que importa é que te sinas realizado/a e feliz.

Toda a nossa vida é feita de objetivos, de forças maiores, de sonhos. Tudo vai mudando consoante a fase da vida em que estamos. Contudo, acredito piedosamente que há sempre alguma coisa que não muda, acho que lhe posso chamar, "o que nos move".
 Há uns tempos fiz esta pergunta a mim mesma, o que me move afinal? Porque é que há erros que teimo em cometer? Porque é que não posso mudar coisas que sei que não vão correr bem? No fundo eu acho que sempre soube a resposta. O que me move é o Amor! Sem dúvida. Eu sou feita de amor, por tudo e por todos.
O meu objetivo é sempre amar e ser amada! Mas amar de forma intensa, aquela forma que magoa por vezes. Não sei se será bom. Quando magoa não é bom, mas pelo menos sente-se.

A verdade é que acho que sofro mais do que quem não é movido pelo Amor! Como se sentisse mais quando ele não é retribuído, como se não suportasse a dor de não ser amada. Mas o amor tem que vir de dentro, tem que ser puro, tem que ser sentido, caso contrário deixa de ser amor.

E é por isto que penso que nunca vou cosneguir a felicidade plena. Porque o que me move não é o mesmo que move os milhares de pessoas que existem. Gostava que pelo menos fosse a fonte de movimento dos que me rodeiam, e dos que mais amo. Mas da mesma maneira que acredito que o que me move é o amor, acredito que este não pode nem deve ser cobrado.

E "isto" é algo que sei que nunca cobrarei, nunca pedirei a ninguém que me ame, porque se algum dia o fizer, deixei de acreditar nele.

E tu? Sabes o que te move?
       Dia 29 de Novembro finalmente se cumpriu a primeira grande viagem de Itália, Forlì-Veneza!
 Confesso que não era um dos sítios que mais esperava conhecer, mas sem dúvida superou todas as pequenas expectativas que tinha.

     Quase tudo foi preparado com muito pormenor, a primeira escolha difícil, o quarto! A grande dúvida era se o melhor local para passar uma noite seria o centro ou Mestre (a 10km de Veneza). Tendo em conta a grande diferença de preços a escolha foi Mestre.
     


      Assim Nuova Locanda Belvedere , um quarto para 4 pessoas, para duas noites ficou apenas a 26,25€ cada um (o que considero bastante barato). É verdade que não se pode considerar um "hotel", mas para uma noite estava excelente, 1 beliche e 1 cama de casal, uma casa de banho no quarto, uma sala de convívio e um terraço bastante agradável, quarto com ar condicionado e televisão. A parte pior, tivemos que "pedir emprestado" uma extensão para que os 4 pudessemos carregar os telemóveis, sem esquecer que a entrada era assustadora. 




       Quanto aos transportes, não nos cansamos de dar dinheiro a ganhar à Trenitalia, a viagem foi um pouco cansativa, sendo que demoramos cerca de 3 horas a chegar e em bilhetes de comboio gastamos cerca de 45€. Mas era, sem dúvida a hipótese mais rentável.


      Por muito que haja um percurso delineado, é impossível não nos perdermos em Veneza, todas as ruas são iguais, e todas vão dar a água, por isso o ideal é deixarmo-nos levar pela multidão de pessoas. 1

   Mas sem dúvida que o que marca estes dois dias foi a viagem de... gôndola! E aí, há alguém que não sonhe em andar de gôndola em Veneza? Ninguém...
O custo de todas as gôndolas é de 80€ a dividir no máximo por 6 pessoas, sendo que a viagem dura 35 minutos. E foi a melhore experiência lá



      Mas continuando a viagem, andamos em ruas tão estreitas, mas com tantas pessoas que chegava a ser arrepiante pensar "passamos os dois?"



    Quanto à Piazza San Marco, foi um pouco a desilusão. Vimos-la de noite e de dia e parecem sítios diferentes. De dia, a confusão, os vendedores, as filas para entrar nos sítios, mas uma arquitetura magnífica. À noite, a magia da música ao vivo, das luzes, da calma, faz lembrar um palco onde irá começar um grande espetáculo.
E quem vai com a brilhante ideia de se sentar a beber ou a comer num dos belos restaurantes desta Piazza, que se desengane, aqu pagamos por nos sentarmos numa esplanada... 




É impossível não ficar fascinado com a quantidade de máscaras que se estão expostas em todas as montras de todas as lojas, lindíssimas e caríssimas. Todas as crianças tinham uma máscara e seria o presente perfeito apra trazer para casa, mas não é possível.

Foi sem dúvida um excelente fim-de-semana, em muito boa companhia, num local magnífico. 



PS: Só não foi perfeito porque tu não estavas lá! Mas fica a dica: ser pedida em casamento em Veneza era giro ;) <3



Bem as aventuras não param e só para que conste ainda não asssinamos nenhum contrato para ficar na residência, o gerente disto é dos bons -.-
    Já conhecemos Rimini (quase como a palma da minha mão), Reggio-Emilia, Parma e Cesena.
    Mas para levar isto desde o início, então a primeira visita a Rimini foi para conhecer o nosso Prof Gioelle Santucci. Mas que grande Homem meteram à frente disto  em Itália. Tratou de tudo connosco, mostrou-nos uma parte da cidade, pagou-nos o pequeno-almoço, lanche e almoço e ainda nos deu imensas indicações. Deu-nos algumas boas e más notícias, o facto de termos que fazer um curso de italiano e de termos que realizar uma série de exames de saúde (exames esses que os nossos professores portugueses queriam que pagassemos do nosso bolso e ele não). Deu-nos duas semanas sem estágio, para adapatção.
     No primeiro fim-de-semana aqui, sozinhos e com saudades de tudo, fomos ter com a Ana e a Márcia a Reggio-Emilia. Finalmente vimos jovens, sim porque aqui no "Tibete" não havia jovens, vimos vida noturna, e ai, Deus sabe as saudades que tinha delas. Assim, fez-se um típico jantar académico, com um rapaz de Erasmus também que elas conheciam. Foi tão bom. Conversamos, conversamos, bebemos e fomos sair. Pronto não foi bem sair, foi ir até um café, sair era demais até para aquela cidade.
    No sábado passeamos por todo o sítio lá, e como elas já conheciam algumas coisas, tivemos direito a guia turístico.
       Como ainda havia Domingo, decidimos ir até Parma, passamos lá o dia e depois voltamos para o conforto da nossa residência. Podia ter sido assim uma viagem simples. Mas que raio de sorte tivemos nós que a linha de comboio estava cortada a meio? Então tivemos que fazer uma parte da viagem de autocarro e depois comboio de novo, demorando assim o dobro do tempo.
     Na residência já somos "populares", toda a gente sabe quem são os portugueses (também não é díficil, somos dos únicos que falam alto, riem...), mas conhecemos boas pessoas, dentro delas um BRASILEIRO!! Bem, não imaginam como foi bom ouvir alguém a falar e compreender o que estava ser dito. É um rapaz altamente, super divertido, que tem sido uma óptima companhia. Aprendi também a dizer algumas coisas diferentes com o pessoal que conhecemos do Azerbeijão.
          Começamos também o estágio, na passada quinta-feira, que equipa excelente, o maior problema é andarmos vestidos como os enfermeiros em Portugal, eu detesto fardas brancas.
     
      Entretanto percebemos que não iríamos mudar de casa, é memso impossível, e impossível também e eu mudar para um quarto sozinha, a cada dia que passava a residência começou a ficar cheia e neste momento é impossível, por isso lá se foi a ideia de ter um espacinho para mim -.- (mas vá, admito que estou muito bem com eles).
   
        E por falar em casa....a cada dia que passa sinto mais saudades de tudo. Em Parma fiz um miminho a um cãozito, e não me contive, fiquei com os olhos cheios de lágrimas (o dono do cão deve ter ficado  a pensar que era louca), mas até me tenho aguentado bem. Ainda não chorei nenhuma vez (nem quando falo com a avó). Mas, honestamente, isso não quer dizer que seja fácil. Sinto saudades tuas, oh Meu Deus, mas tantas saudades tuas.
Ás vezes o facto de falar com as pessoas não ajuda... quanto mais falo contigo mais saudades tuas tenho, maispenso nos momentos que poderíamos ter aproveitado e não aproveitamos, mais penso que quando te abraçar de novo, não te largo, JURO!  (e agora basta de falar de saudades)
 Conhecemos alguns portugueses! Mas nem todos me agradam (óbvio), mas pelo menos duas raparigas (e adivinhem de onde são?) de Coimbra, que me pareceram um óptima companhia.
     Estamos prontos para as aventuras que por aí andam há nossa espera! 











                                                                                   Beijinhos e até ás próximas aventuras ;)

    Passou a última Queima das Fitas, o último cortejo, a benção das pastas, o baile de finalistas, a apresentação do projeto de investigação e finalmente a última etapa: Erasmus em Itália.

    A aventura começou dia 16 de Setembro, após a apresentação segue-se uma longa viagem de autocarro até ao aeroporto de Lisboa (acreditem o pior está para vir) e para terminar uma "bela" noite no aeroporto, pois o voo era apenas ás 9:50h. Felizmente conseguiu-se passar o tempo, tentamos dormir, jogamos cartas e pronto, quando demos por nós estavamos no avião... 



  Até aqui, obviamente a parte pior foi a despedida, acho que a minha mãe pensa que vou à guerra por 3 meses, o meu pai só imagina que me vão raptar, o meu namorado pensa em festas e rapazes e a minha irmã imagina que não vou querer saber dela... sabem lá eles o medo que tinha naquele bocado, o medo que aconteça alguma coisa enquanto estou longe, o medo de perder toda a gente, mas vá, houve muitass lágrimas mas foi passando.


  Chegados à Itália, os acessos ao aeroporto não se revelam difíceis, mas convenhamos, nem eu nem os meus amigos falamos italiano (o que não ajuda à festa). Ainda assim, conseguimos apanhar um autocarro até à estação de comboios. 
    Já na estação (e habituada a andar de comboios todos os fins-de-semana) tiramos o bilhete e dirigimo-nos à linha correta. Qual não é nosso espanto quando, 5 minutos antes da chegada do comboio, reparo que a linha foi alterada sem que houvesse um único aviso (também, verdade seja dita, se foi feito foi em italiano e não percebemos). Finalmente esperava-nos um táxi, que nos trouxe diretos para a residência.


      Não queríamos acreditar no que estavamos a ver assim que chegamos ao 171 do Corso della Republica... Uma grande torre com muitos andares, mas entradas todas fechadas, nem uma porta aberta.. nada. o Calhau começou a pensar o pior, eu só conseguia rir (de tantos nervos) e o Açores nem sei (mas acho qeu manteve a calma como sempre). Decidimos perguntar no cabeleireiro que tinha na frente se a residência Tower Campus estava ou não a funcionar.
Lá foi a senhora tocar à campainha do gerente da residência, e eis que me deparo com um senhor um pouco mais alto do que eu, com uns bons kg a mais, sem falar nada inglês, pedindo desculpa por estar fechado mas que não trabalha ao fds. (muito bem, não trabalhas ao fds porque estás em Itália, mas se recebes pessoas ao fds convém ter algum número para onde possamos ligar)

Mostrou-nos o quarto (que é a única parte boa desta residência), a cozinha (de notar que existem 3 cozinhas para 6 pisos habitados) e a "lavandaria" (uma máquina de laavar roupa). Foi embora após nos dar a chave, avisando que na segunda-feira tratavamos de tudo.

Claro a vontade era...ir embora no próximo avião para Portugal, mas vá, temos que aguentar 3 meses ... 
















                                                                                 Próximos capítulos brevemente :)

                                                  PARABÉNS A TI!


Parabéns a ti meu amor.
Parabéns a tudo o que és.
Parabéns ao único que me faz sorrir de maneira diferente, que me faz sonhar com o futuro, que me faz feliz.
    És o melhor do mundo, sem alguma comparação, sem mas!
 Tenho muito orgulho naquilo que és, naquilo que conquistas, no teu sorriso, no teu riso.
Espero dar-te os parabéns sempre, até ao fim, espero contar contigo todos os anos que se aproximam, ver-te soprar 90 velas, ser a mulher que estará sempre aao teu lado e que pede desculpa por não ter comprado uma prenda!
Ver-te feliz faz-me feliz.
Ver-te envelhecer faz-me pensar que cada dia, é mais um dia a dois, mas que é menos um dia que aproveitamos.
Amo-te tanto e amo-te há tanto tempo. Há tantos anos que te vejo sorrir e virão tantos mais!

Espero estar À altura do HOMEM que te estás a tornar, ser a mulher que te fará feliz, independentemente de tudo.

Estarei sempre do teu lado, para sempre, e o sempre não tem, pelo menos para o que sinto por ti!

Parabéns ao rapaz com quem quero ser feliz para sempre....
 Nunca te esqueças que vou estar sempre aqui para ti, como sempre deveria ter sido!


E agora, vamos é aproveitar, que na queima temos que festejar isto à grande...afinal... CHEGASTE AOS 25 :D



                                                      Desde 2008 a ver-te envelhecer? Estou preparada para tudo!

                                                          Parabéns e tem um excelente dia, tu mereces <3






São 13h em Coimbra.
Mais uma vez estou dentro do comboio, desta vez com a mala verde em vez da rosa, sigo pelas últimas vezes as linhas que me levam para o estágio, para a Figueira da Foz.
Na minha cabeça passam apenas dois pensamentos "só faltam 2 semanas" , "quinta estou de volta".
Confesso que estou cansada, das viagens, da distância, da calma... Habituei-me de tal forma à agitação de Coimbra, que a calmaria de todos os outros lugares me faz confusão.
Pergunto-me como vai ser quando voltar, sem ninguém praticamente. Toda a gente se vai embora e talvez aquela cidade agitada, se torne também ela, calma demais para mim.

Posso tirar muitas coisas positivas destas 11 semanas, mas a mais importante e principal, é sem dúvida que posso e devo contar apenas comigo para sempre.
Só é possível contar comigo e com mais ninguém. Talvez seja egoísmo, egocêntrismo, solidão, o que for...mas vejamos, quantas pessoas tiraram uma tarde para me vir visitar à Figueira? Nenhuma. Quantas pessoas me fizeram companhia à espera do comboio? Ok, aqui duas talvez. Mas de todas as vezes que me senti sozinha, foi sozinha que tive que aguentar, tive que aguentar as coisas más e coisas boas sozinha.. e descobri que isso não é uma coisa má.
Percebi que até sou boa companhia, que até me suporto bem.
Descobri muita coisa sobre mim, uma maravilhosa, sinto-me mais inspirada no comboio, talvez por isso passe as viagens a escrever (a escrever a sério), descobri também, que me consigo controlar, que não me adianta de nada desatar a chorar que a única pessoa que me vai consolar vou ser eu, por isso controla-te.
Sei que vou ter saudades destes bocados comigo, papel, caneta, phones e tinta a correr nestas páginas, mas já só faltam duas semanas, e eu quero tanto voltar para "casa". Só há uma coisa, sobre a qual ainda não me atrevi a pensar muito, que é, quando voltar para casa, começa a contagem decrescente para o fim, e aí, até a minha "casa" vou ter que deixar.
Não seria capaz de mudar nada, apenas a parte do fim.

Agora, já são 13:25h e ainda falta, mas são só mais duas semanas e quinta já volto.



                                                                                                          3 de Abril de 2016

Arquivo do blog

Catarina Couto. Com tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog